Arquivo da tag: intercâmbio

Como foi a Ruta Maya…

Sei que já faz tempo que eu fui, mas mesmo assim eu quero contar pra vocês um pouco do que foi este recorrido por México. Vou tentar fazer isso de maneira organizada. O texto fico bem longo porque é o resumo do que aconteceu em 16 dias de viagem.

Começou dia 7 de Abril de 2013 e terminou no dia 22 do mesmo mês. Foi um total de 16 viajando, vou contar por cada dia a viagem que assim fica mais fácil. Quem nos levou foi uma empresa de viagens, a Didáctica. E de rotários que iam conosco era a nossa chairwoman, Rosa Maria e a esposa de Francisco Javier que agora eu não lembro o nome. Só pra vocês ficarem a par das coisas, Rosa Maria (=Rosy)  é muito restrita, ela segue as regras ao pé da letra, não que isso este mal porem se você vai trabalhar com jovens de vários países que estão de intercâmbio, e aparte estão indo a Cancun, você deve ser um pouco flexivel e não fazer eles dormir as 10 horas da noite. Você não concorda?

1.Monte Albán-Oaxaca

Domingo, 7 de Abril.

Saimos de Toluca ás 5 da manhã, estavamos todos muito animados e ao mesmo tempo meio preocupados por ia ir Rosy, e todos já sabiam como ela é. Era uma coisa tão gostosa no ar dentro do ônibus, ninguém queria dormir. Viajamos por horas até chegar em Monte Albán, era nosso primeiro centro arqueológico da viagem.

Primeiros problemas já começaram ai. Todos estavam querendo colocar em assunto como lhes estava indo seu intercâmbio, compartindo suas experiências e os de Didáctica ficavam pedindo silêncio até um ponto em que o guia também começou a ficar meio grosseiro. Assim foi todo o recorrido. Terminando não deram suficiente tempo para tirar fotos, e começou os malditos atrasos durante a nossa viagem.

Subimos outra vez ao ônibus rumo ao nosso hotel. Misión San Felipe. Era bem bonito o hotel, um 8 de 10.

Chegando deram nosso dinheiro do mês e como seria a divisão dos quartos. Depois fomos todos para a piscina e nesse momento se tornou oficial, tinha começado a Ruta Maya. Depois jantamos e uma parte dos intercâmbista e eu nos sentamos perto da piscina e ficamos conversando. Rolou assunto de tudo e um dos mais polêmicos foi “o quanto você engordou nos últimos mêses”, quem ganhou o prêmio foi a um menina, 20kg, mas todos estavam de acordo ao dizer que por mais que ela tivesse engordado, continuava herrrrrrrmosa! Foi uma verdadeira noite das confissões e no final tivemos muitos abraços que alguns eu vou levar para toda minha vida, principalmente um de uma menina da Bélgica que me marcou muito.

2.Tuxtla Gutiéres-Chiapas

Segunda-feira, 8 de Abril.

Saimos cedo do hotel rumo a Oaxaca ver o Barro Negro que é o típico de lá e não tem outro lugar no mundo com esse barro. Tivemos a oportunidade de ver o processo de fabricamento dele. Realmente as peças feitas nesse material são incríveis, eu comprei uma caveira coisa mais linda (que quebrou outro dia, mas faz pouco tempo consegui outras duas, uma pra mim e uma pra um amigo).

Não me lembro muito desse dia, mas acho que foi porque passamos quase todo o dia dentro do ônibus, pasamos por paisagens incríves e eu me lembro de que foi a primeira vez que vi os famosos e altos cactos que muitas representam o México, e também estavamos viajando por desfiladeiros cheios de curvas. Muitos se sentiram mal e tiveram que toda remédio, e eu ficava observando a paisagem achando tudo aquilo o máximo!

Essa noite dormimos no hotel Holiday Inn, eu não me lembro desse hotel.

3.Cañon del Sumidero, San Cristóbal de las casas.

Terça-feira, 9 de Abril.

Fomos ao Cañon del Sumidero, diz a lenda que os índios preferiam de jogar no precipícioa se submeter as forças invasoras espanholas. E percorremos todo o rio,e só de levantar a cabeça para ver de baixo para cima, já me dava coisas na barriga. Tinha cerca de 1km de profundidade. E ai vimos crocodilos e todos pensavam que era de pedra, até uns começarem a se mecher, foi muito show.

Saindo de ai, fomos rumo a San Juan Chamula. Nessa pueblito não se podia tirar fotos, e tudo tinha um ar muito misterioso e não sei como explicar porque todos sentiamos uma coisa diferente no ar. Desde as crianças pedindo dinheiro até a Igreja que por dentro mais parece um santuário muito sinistro para rituais de purificação cheio de velas e folhas por todo o lado. Quando estava esperando e conversando com o guia do lado de fora da Igreja, sai uma das meninas dos Estados Unidos chorando porque viu quando mataram uma galinha lá dentro, sim isso é parte do ritual, e também é parte do ritual tomar Coca-cola pra ti arrota.

Terminando ai fomos para nosso rústico hotel em San Cristóbal de las Casas, o La Norita Best Western. Tomamos banho e foi nossa primeira janta “peçam tudo o que quiserem, é por nossa conta” num lugar caro. O Jeferson de Caxias do Sul que fazia intercâmbio nessa cidade passo dar um oi pra nós, eu tinha conhecido ele na embaixada do México em São Paulo quando tava fazendo meu visto. Ah e também foi aniversário de um dos guris de Taiwan. E uma coisa que aconteceu e também foi a Rosy revisando a bolsa de uma das gurias porque ela tinha dando dinheiro pro taxi para um dos intercâmbista que tinha ido nos ver, porque? Ela penso que estavam com drogas…

4.Nada especial além do Karaokê.

Quarta-feira, 10 de Abril.

Saimos cedo e fomos ao restaurante do hotel tomar café, e como iamos para a fronteira com a Guatemala liguei pro pai pedindo dinheiro. Acabo que não fomos. Tinhamos o dia programado para lugares muito lindos e por causa de uma manifestação no meio da estrada não tivemos a oportunidade de ir. Mas o mais chato foi que o Karl esqueceu a câmera dele de mais de 1500 dólares num parque e todos tivemos que esperar e no final ele não encontrou. Depois todos ajudaram numa vaquinha para comprar uma câmera nova pra ele, mas barata claro, mas também roubaram esse dinheiro depois.

Acabou que fomos para um clube com piscina, e começou a batalha por didáctidóllars (que no final não serviram para nada, e até agora eu to com eles aqui guardados). Eles iam dar 500 para os 5 primeiros que entrassem na piscina, eu tava sentada com meu vestido, sai correndo tirando ele e me joguei na piscina, com ele na mão. Só eu mesmo. Depois disso fui pra um canto dormir, tava começando a me sentir estranha.

Voltamos para o hotel e todos nos arrumamos bem bonitos que iriamos “sair” esta noite. Jantamos em um lugar muito bem bonito de crepas e depois fomos a um karaokê. Adivinha quem foi a primeira a se meter cantar? Eu claro, cantei How Deep Is Your Love, bem atoa e isso me rendeu 20 didáctidóllars. Depois disso todos se animaram, principalmente a Cecília (BC) e a Giovana (Palmeira das Missões) cantando Rebelde. Saindo dai para o caminho do hotel foi que eu começei, por NADA, a minha choradeira. E depois de noite fiquei atééée conversando com a Laura e depois fomos pra outro quarto com as uma gurias da Alemanha, da França e da Tailândia.

5.Cascadas de Água Azul

Quinta-feira, 11 de Abril.

Outra ves subimos ao nosso ônibus e viajamos rumo as Cascatas de Água Azul. Foi outra das coisas mais lindas que vi durante essa viagem. Comemos ai e tudo mais. O lugar era simplesmente lindo…

Essa noite dormimos em um hotel 5 estrelas, o Misión Palenque. Chegando entramos na piscina, eu me lembro das guerras de galo entro o belga e o turco. Pinche turco, dizia o belga. Jantamos, todos molhados. Depois ficamos até tarde conversando e uns começaram a se bobear e se vestir ridiculamente com as cangas e óculos de sol e foi uma festa. Depois baixamos até a área de spa do hotel e ficamos lá um tempo admirando o que não poderíamos aproveitar no dia seguinte.

6. Palenque, Campeche, Mérida

Sexta-feira, 12 de Abril.

Saimos cedo esse dia, fomos a zona arqueológica de Palenque, provavelmente tu já deve ter visto uma imagem da pirâmide  principal que é a tumba de Akal e nesse lugar tem também a tumba da rainha vermelha, porque deixaram muito objetos de jade e essas coisas e para proteger a tumba de saqueadores colocaram uma substancia dentro que intoxicava as pessoas que entravam. Eu gostei muito desse lugar, principalmente porque o guia era muito querido e explicou as coisas super bem para nós. Nesse momento os de Didáctica separavam nós em dois grupos, os que queriam ouvir a explicação, e os que queria tirar fotos. Antes de entrar tivemos problemas com a Rosy, o que resultou no que vocês vão ler enseguida…

Saindo de aí, comemos em um lugar no meio da estrada e foi praticamente nossa única parada antes de chegar a Campeche, terra de piratas e já não me lembro o resto do slogan. Tinha um muro bem alto protegendo essa parte da cidade que muito antigamente era um porto. Depois de um espetáculo entramos e jantamos ai. Era tudo muito colonial e ainda tinha o clima de piratas e etc. A comida era muito gostosa, comemos outra vez no estilo “peçam o que quizerem que é por nossa conta”. Dai nos organizavamos e cada um pedia uma coisa diferente e depois dividíamos para cada um provar um pouco.

Subimos outra vez ao ônibus e fomos em direção a Mérida. Chegamos era madrugada de sexta para sábado, quando baixaram as malas do ônibus deixaram todas no lobby do hotel e a Rosa Maria começou a revisar todas as malas junto com o pessoal da Diáctica. Foi muito embaraçoso para todo mundo, e além disso foi cansado. Isso aconteceu era umas 2 da manhã, e terminaram de revisar todas as 4, e no outro dia todos deveríamos que acordar as 8 da manhã para continuar com os passeios. Uns reclamaram que foi uma falta de respeito e uma invasão de privacidade. Na minha opinião de nada ia adiantar reclamar qualquer coisa,  a Rosy era a autoridade máxima naquela viagem, nenhum de nós poderíamos ter feito qualquer coisa. O negócio era não discutir e ficar relaxado, mostrar que não tinha nada para esconder.

PS: Nosso hotel era muito bom, melhor que o 5 estrelas na minha opinião. O nome era Hotel Del Governador.

7.Mérida

Sábado, 13 de Abril.

Depois de tudo que tinha acontecido na noite passada, muito praticamente não dormiram. Tomamos nosso café da manhã e fomos dar umas voltas caminhando no centro de Mérida. Logo eu comecei a sentir aquela coisa estranha que sentia sempre que ouvia o nome dessa cidade, era tão gostoso, não sei como explicar. Era um calor que muitos diziam infernal e eu definia como casa. Nos separamos em grupos e eu comprei umas coisinha que me faltava. Voltamos para o hotel, e deveria ser como meio dia.

Embarcamos outra vez no busão em direção a Uxmal, o centro arqueológico que eu mais gostei. Para começar não tinha aquele monte de vendedor de coisas que ficam todo o tempo te incomodando, o guia era muito bom, e se podia subir na maioria das pirâmides. Comemos no restaurante que tem dentro do centro e tinha piscina, foi O MÁXIMO! E depois de tudo, pela noite vimos um show de luzes que fazem no lugar, foi um São Miguel da Missões versão México.

Voltamos para nosso hotel em Mérida e durante a janta que foi um tipo de lanche dentro da caixinha, nos reunimos numa sala para discutir o nosso plano de como fariamos para poder sair em Cancún, e as chances não estavam em nosso favor. Tenho uma foto do belga explicando num quadro como iriamos para fugir do hotel, mas o plano original era o guri da Eslováquia conversar com a Rosy pedindo permissão.

8.Chichen Itza, Cancún

Domingo, 14 de Abril.

Saimos cedo do hotel, todos se comportando muito bem até um ponto. Comprei meu sombrero rosa antes de entrar no buss. Fomos a Chichen Itzá que é considerada uma das maravilhas do mundo. ESTAVA CHEIO. Vou falar a verdade para vocês, não achei grande coisa e não gostei muito. Porque? aparte de que tinha muita gente, acho que tinha mais vendedores que visitantes, e eles ficavam te seguindo e gritando suas promoções, não se podia subir em nenhuma das pirâmides e era muito sol.

Depois fomos a um cenote, foi outra das coisas mais lindas que já vi na minha vida. É onde brota a água, e era fechado e tampoco sei como explica direito, devia ter entre 50 e 25 metros de profundidade. Foi simplesmente renovador nadar naquela água fria depois de tanto tempo no sol. Comemos e fomos em direção a nosso querido Cancún.

Chegamos no hotel pela noite, e todos queriam sair. Bom, a Rosy deixou, mas foi super rápido e eu fui no Hard Rock Café da Riviera Maya esse dia. Foi bom, tirando que quando chegamos em Cancún eu chorei do nada, mas foi bem feio, eu soluçava e tudo mais. E eu realmente não tinha motivo nenhum e sem embargo continuava chorando. Mas depois já me acalmei. 🙂

Fiquei depois no corredor conversando com a Gabi do Didáctica até tarde, sobre muitas coisas e passei um tempo muito bom com ela.

Nosso hotel era o Aquamarine Beach, tinha tudo incluido! 😉

9.Xcaret

Segunda-feira, 15 de Abril.

Tomamos café da manhã, cortei minha camiseta do AC/DC, entrei no mar azul de Cancún, cortei minha perna numa madeira, e subimos ao ônibus.

Voltaram dois meninos nessa manhã, foi chato ter que se despedir deles no meio da viagem. Depois disso tudo ficou ainda mais tenso.

Fomos a Xcaret que é tipo um parque ecológico, só que não. Tivemos muitas coisas para fazer ai, mergulhamos, comemos, perdemos uma chave e foi um saco para encontrar depois, eu fui ver um aquário (não era muito grande mas ta valendo), achei uns brasileiros do sul e eles conheciam São Borja e nossa conversa se resume em uma frase = mas tu veio de longe ein guria!, e depois fomos a um espetáculo com mais de 300 pessoas dentro do parque, jogaram o famoso Juego de Pelota, com a cadeira igual que no filme do El Dorado, só que com pessoas ao vivo foi muito mais impressionante (eu ficava me perguntando como aquilo era possível).

Voltamos para o hotel, todos muito cansados e ficamos no lobby tomando Coca com limão e comendo nosso lanchinho proporcionado pelo de Didáctica. Ficamos ai até tarde.

10.Direção a playa Del Carmen

Ficamos no hotel Aquamarine até de tardezinha, calotearam a gente porque deveriam ter levado-nos para Cozumel esse dia.

Depois fomos ao centro de Cancún comprar algumas lembrancinhas e depois fomos em direção a Playa Del Carmen. Também estavam fazendo sua Ruta Maya o distrito de Baja Califórnia e queriamos encontrarnos com eles, e a Rosy não deixou.

11.17.Akumal

12.18.bla bla bla

13.19.Tulum, Chetumal

14.20.Chetumal

15.21.Veracruz

16.22.Regresso a Cidade do México.

EU ATUALIZO ELE AMANHÃ COM OS DIAS QUE FALTAM EU CONTAR!!!

Anúncios
Etiquetado , , ,

há dez mil anos atrás…

Dez mil, mil anos, uns meses, um ano? tem alguma diferença?

Tudo muda e nada é frequente, está em constante mudança. É uma filosofia, a filosofia Wabi-Sabi, “a beleza do mundo imperfeito”.

Não tenho escrito por pura preguiça, é a verdade. E já não vou dizer que voltarei a escrever frequentemente e bla bla bla porque eu talvez não vaia e isso seria pouco congruente da minha parte. E quero deixar essa coisa de não cumprir minhas promessas, e ser de fato uma pessoa congruente.

Já faz mais de um ano que eu criei esse wordpress com a intenção de relatar meu intercambio, e não fiz isso, “que vergonha”, diz a meu consciente. Daqui 25 dias eu vou voltar pro Brasil, voltar pra “casa”, e ponho casa entre parênteses porque não me refiro a uma casa de verdade, é mais uma sencacao de espírito que se refere a teu porto seguro, tua família, tua gente. Aconteceu algumas coisas, eu mudei muito e também minha “casa” se modificou completamente. As vezes me pergunto o quanto eu mudei por dentro e por fora, e eu não sei responder. As vezes penso que não mudei em nada, mas as pessoas ao meu redor me dizem que sim. As vezes eu me sinto tão mais madura, e logo vem alguma situação que me da um soco na cara pra mostrar que não, eu ainda não estou pronta. Não saber o que esperar, não ter a resposta pra tudo, ser um ser imperfeito da maneira mais comum possível e se sentir especial. Como nas propagandas de Coca-Cola…

Tem lembranças de apenas um ano atrás que parecem pertencer a um passado longínquo, tem memorias de toda um vida que não parece em nada com a minha vida de agora. Muitas coisas mudaram de um ano para hoje, acho que sou mais responsável, sou um pessoa um pouco melhor. Depois de viver tantas coisas, porque a verdade é que durante um intercambio, não importa quem seja, em que pais vá, vive a mesma situação de madeiras diferentes nada mais. Um intercambista tem um período como bebe, em que não entende nada, tudo é confuso e precisa de apoio para começar a caminhar. Vive como uma criança, felicidades por coisas simples, vai passando pela adolescência se dando conta de suas responsabilidades e etc (algumas festas também), e no final pode-se dizer um “adulto” (alguns, não todos), porque aprendeu, cresceu e evolui em seu próprio ser. Tenho orgulho de dizer que passei por estas 4 fases, sofri? sim, aproveitei? sim, mas o que mais de deixa orgulhosa, de mim mesma é poder dizer que eu superei barreiras, que eu cai e levantei com as minhas próprias pernas. Durante o intercambio tu nem sempre vai ter o carinho que teu pai te faz na cabeça, os abraços e beijos da tua mãe, e muito menos a paciência e a tolerância deles.

Eu quiz voltar. Teve um período do meu intercambio que eu eu pensei que não ia poder mais, que já não conseguiria terminar como um vencedor, porque tu terminar o teu intercambio com sucesso é um baita vitória. Tive problemas nas minhas primeira e segunda famílias, minha terceira foi perfeita e a que eu to agora foi a que mais me fez crescer, de toda uma parte que eu fui acumulando e fez dobrar essa experiência. Sou extremamente grata por tudo.

Há dez mil anos atrás acho que não se sabia o que esperar do futuro…

Há um ano atrás eu não tinha ideia do que esperar do meu intercambio…

Agora o que eu quero para o futuro é continuar crescendo, seguir com esta felicidade de que é ser uma pessoa vitoriosa!

Obrigada.

(espero poder relatar em outra oportunidade sobre como foi, eu fiz uma agenda com as principais coisas que aconteceram, com um pouco do meu intercambio, mas a melhor coisa seria te contar pessoalmente, se bem que foi só mais um ano na vida de uma pessoa! (; haha)

Etiquetado , , , , ,

75 horas

Antigamente eu escrevia melhor, conseguia ser bem mais dramatica sei lá. Mais sentimental agora tudo parece forçado e acho que é porque o drama é real. Mais 75 para uma nova vida.

De todos os momentos que tive muitos são bons, alguns nem tanto, mas os momentos em que estive com minha família e amigos, a nossa típica rotina foram os quais eu mais vou me lembrar, a rotina que eu costumava ter talves eu não sinta falta de muitas coisas. Mas dessas pessoas eu vou sentir falta, talvez nem tanto porque estavamos sempre juntas, mas as pequenas atitudes que faziam delas unicas, que me faziam admira-las.
Meu irmão, pai e mãe. Meus amigos e colegas. As parcerias pra dar risada, jogar uno, dorminhoco.
Obrigada.

Cada um daqueles que passaram pela minha vida de fizeram crescer e amadureçer o suficiente para poder estar aqui nesse momento.
Meu intercâmbio é apenas o começo.
Obrigada.

Sinceramente a palavra saudade não é minha palavra favorita. Vivemos em um mundo onde a internet nos impede de sentirmos saudade, de não ter noticias de alguém. Eu não sentirei saudade, vou sentir falta de ter você perto. Mas é temporário em mais ou menos 7440 horas eu já vou estar voltando.
Queria nessas 75 horas que faltam pra mim embarcar que tudo fosse sei lá kkk. São 75 horas em que vou me preparar ainda mais pra nas próximas 7440 não sentir tanto a falta dessas pessoas que eu amo.
Obrigada.

Em 75 horas eu vou conhecer um pouco do meu futuro, e estou muito animada. São 75 horas para o começo da minha nova vida, da minha vida de intercâmbista.

Pra quem quizer, amanhã dia 6 sinta-se convidado a participar da minha despedida no rotary. foi algo pelo qual eu batalhei muito e hoje, daqui 75 horas, se tornará o sonho realizado
beijos e abraços

uns loco cantando sábado de sol no kamikase. kkkk

Etiquetado , , , , , , , , , ,

Ser irmã é o máximo;

Bom eu vo escrever sobre isso porque é o mais recente agora, mas tem MUITAS coisas que eu ainda deve contar aqui. Até pra mim mesma ter algo reegistrado e não só na memória. :p

Maren é, o que minha mãe diz, a irmã da minha idade que ela nunca pode me dar. Eu tive um sonho muito louco. A Maren estava me abraçando como o meu irmão costuma me abraçar, mas o mais engraçado é que era por ela mesma não tinha sido eu a abraça-la e sim o contrario. Vocês devem saber que o pessoal lá de cima não costuma fazer isso, e o sonho foi tão tão real que se torno impossivel acorda sem um enorme sorriso no rosto. Cruzo os dedos pra que esse sonho se concretize logo.
Sarcástica e brincalhona, ela mesma. Eu acho que é porque desde que ela chegou ela tem a mim pra conversar mais, que a comunicação é mais fácil comigo. E ela já pego a intimidade pra faze brincadeirinhas, vê se pode? kkkk, tipo, minha irmã mesmo, a gente até já “discutiu”, isso é muito loco.
Minha mãe estava cogitando até não me mandar mais pro México porque eu deveria aprender alemão.
Eu QUERO IR PRA ALEMANHA de um jeito ou de outro. Como eu ensino português para ela, ela me faz tentar o alemão e agora eu cito. “Fale alemão e então eu vou dar risada”, quando ela fala portugês é engraçado por conta do sotaque e então quando eu falo ela tem que repetir mais umas trezentas vezes porque eu não consigo dizer a palavra em alemão direito. Ontem quando eu falei pro Franz que eu adorei o alemão, *risos* a lingua alemã e queria aprender, ele me chamou de louca. sim, louca.
Esse momento é unico, eu NUNCA e agora a palavra nunca se encaixa muito bem, EU NUNCA vou esquecer essas pessoas, esse momento é único.
Buenas (como costumava dizer minha prof de matemática)

Outras coisas aleatórias que eu devo dizer; eu falei com a Rubi e foi muito bom; eu me matei de dar risada com muitas coisas nos últimos dias, um recado, nada é realmente para sempre as pessoas mudam.; a maren não ta dormindo bem por causa dos cachorros, e eu nunca dormi bem por causa dos cachorros; ela dormiu de poa até são borja quase que a viajem inteira; ontem foi a despedida do franz e quando eu tiver a foto eu ponho no post; foi muito emocionante, e eu quero que meu intercâmbio seja tão bom como o dele; e a palavra que a maren mais usa e entende é “depois” eu que ensinei kkk’; e é isso.

até logo.

Etiquetado , , , , , , , , , , ,

Tudo sobre o méxico!

O titulo do post já é bem indicativo. É sobre o méxico. Meu querido e futuro país.

Necessito hacer una redación sobre el Mexico, obrigação de intercâmbista conhecer um pouco da cultura e história do lugar para onde vai para amenizar o  – dito cujo – “choque cultural”. Pois bem, parando de enrolação, escreverei minha redação de duas página alinha e justificada. – Único problema é, estou sem a mínima inspiração. Mas um dia ela chega, de preferencia, ela deveria ter chegado ontem pra falar a verdade, eu to com tudo atrasado.

Sem mais enrolação,

México. uhulll

O povo mexicano não parece muito diferente do brasileiro, é descrito como simpático, divertido e prestativo, e a população mexicana é também uma mistura de índios com espanhóis. Eles têm uma cultura muito rica, baseadas em muitas civilizações antigas como incas, maias, astecas, etc. São muito nacionalistas e religiosos.

Por todo o país existem cidades histórias muito importantes, possuem muitos museus e uma capital – Ciudad de México –  linda e arborizada com infinitos lugares para visitação, e não só na capital mas pelo país inteiro. Falando mais um pouco da capital, que se situa bem no centro do país, possui dois vulcões ao seu redor, o Popocatepetl e Iztaccihuatl. Toluca de Lerdo fica perto do DF, nessa cidade também tem um vulcão, Xinantecatl que também é chamado de Nevado de Toluca. Nessa região a altitude é de 2 mil metros de altura. Entre as principais e mais conhecidas cidades estão: Guadalajara, sede do pan 2011; Acapulco, a praia que apareceu em um episódio do famoso Chaves; Cancún; Chichén Itzá, onde ficam as piramides maias; entre outras cidades.

Duas das coisas características do México são a comida e a bebida. Os pratos são fortes salgados e exóticos. Os principais são as tortilhas e os famosos tacos recheados com todo tipo de condimento e pimenta conhecidos no mundo inteiro. Lá, para os corajosos, tem até taco de gafanhoto e formiga. Outros pratos típicos de lá são a guacamole (abacate, usado em pratos salgados), os nachos, burritos e o chile (carne moída, feijões cozidos sem calda) e muita pimenta, é o condimento mais usado por lá. As bebidas mexicanas também são bem fortes. A mais conhecida é a tequila que possui todo um ritual típico do México para beber cada gole. Tem também algumas mais esquisitas envolvendo vermes – o Mezcal – que são ainda mais fortes que a tequila. Felizmente não é só de álcool que as bebidas de lá são feitas, a mais famosa é a água de chocolate. A culinária também é diversificada em cada região, eles possuem 60 tipos de etnias.

O clima se assemelha com o do Brasil. No norte é seco e desértico, no planalto central é temperado e na costa é quente e úmido. Nos pontos mais altos, na região da capital, o clima é fresco e agradável durante todo o ano.

As datas e festas importantes de lá são: 02/02 – Día de la Candelaria – com base numa crença e tradição judia as famílias se reúnem para comer beber Atole uma bebida quente que é baseada em farinha de milho e quando a receita leva chocolate é chamada de Champurrado; 16/09 – Día de la independencia Mexicana – ela é comemorada com um desfile cívico, as pessoas também se pintam com as cores da bandeira do México entres outros costumes ; 31/10 até 02/11- Día de los Muertos ou Santa Muerte – são feitas oferendas aos espíritos que já foram e homenagens, ela é uma data muito importante e simbólica com muitos rituais e costumes que são parte importante da tradição mexicana. Essas são as duas mais importantes, mas eles também comemoram o Natal, Dia das Mães e outras datas que também tem aqui no Brasil.

No México a moeda é o peso mexicano e a economia deles tem foco na exportação e é baseada em serviços, na indústria, no comércio, na agricultura e na  exploração de minérios. Mais de 40 países possuem tratados de livre comércio com o México. A agricultura é de frutas, feijão, cana de açúcar e algodão. Na questão de números eles são a segunda maior economia da América do Sul, perdendo apenas para o Brasil, e no ranking mundial fica na décima segunda posição. Atualmente um real vale o equivalente a sete pesos mexicanos.

A política é um pouco diferente da brasileira, eles tem o poder centralizado, nas mãos do presidente e no executivo. O presidente deles tem um mandato de seis anos e não pode renovar. Mesmo sendo um país conservador o governo atual do presidente Felipe Calderón, que foi eleito em 2006, se mostrou muito liberal e em 2007 aprovou a união de homossexuais, entre outros.

Mais sobre o México? Eles falam espanhol; O fuso horário é de menos três horas em relação ao Brasil; Aqueles caras que aparecem nos desenhos animados com chapeis grandes e com bigodes enormes são os mariachis, músicos tradicionais mexicanos.

Referencias.

http://www.miraedestino.com/destinos.cfm?id=442&n1; http://www.cabostral.com/guia_viagem_clima_mexico.php; http://www.infoescola.com/mexico/economia-do-mexico/http://www.easyexpat.com/pt/cidade-do-mexico/visao-geral/politica.htmhttp://www.malapronta.com.br/blog/2011/03/02/conheca-a-cidade-do-mexico/; Yahoo respostas; Kate (minha futura irmã); Meu livro do Fisk Focus in Final; Victória Lunardi Bauken.

Obrigada a quem leu até o final. E ao adorável Gabriel Augusto Hahn, que revisou o texto pra mim.

besos muchos besos.

Etiquetado , , , , ,

step by step e surrealidades e meu blazer *——–*

Cada vez mais parece tudo tão surreal, eu vivendo cada coisa comum e ao mesmo tempo extraordinária, graças ao Rotary. Em pouco tempo, eu acho três meses pouquissimo tempo, eu vou estar longe dessa minha cadeira, do meu querido e amado projetor, dos desenhos que estão na parede do meu quarto… eu não faço ideia de como vai ser quando eu estiver lá, e só de pensar nisso meu coração vai de 8 a 80.

Ontem, estava num seminário do Rotary em Palmeira das Missões. Tava muito bom.

Durante o almoço, nós (intercâmbistas de São Borja, Rubi, Frans e Hector) estavamos vendendo uma rifa, e todos me perguntavam de que país eu era, teve ate duas mulheres muito queridas que me pergutaram, “é tu a intercâmbista da alemanha?” “tu que veio dos Estados Unidos?”, e eu ficava tipo “*——————–* não, mas obrigada, sério que eu pareço da alemanha/eua?”, tudo bem, eu vou pro méxico, mais ainda vou ter uns quantos encontros desse tipo. O objetivo é conhecer muitos intercâmbistas e ir visita-los posteirormente. E de acordo com muitos intercâmbistas que vieram para o Brasil, o México é o melhor lugar para se fazer intercâmbio, é o lugar onde mais se encontra intercâmbistas do mundo inteiro. Eles viajam todos mês, e pelo que eu fiquei sabem é for free. A “Ruta Maya” que é a maior viajem que tem, passa pelas playas do méxico, nas piramides e para em Cancun, eu nunca quis ir para Cancun mesmo… aushauhsaushauha

Meu blazer foi o motivo daquelas tais confussões, e eu ficar falando em inglês também, eu recebi ele faz pouco tempo, mas eu já estou com ele com um monte de pins, quando eu tiver com uma máquina fotográfica eu tiro uma foto pra colocar aqui. Desde o ano passado no meu primeiro seminário de Rotary que eu venho juntando esses “brochezinhos” para colocar no meu blazer. Reza a lenda, que no final de um intercâmbio, o blazer chega pesar quilos e quilos.

Por hoje é só, minha mente ao mesmo tempo que anda a mil, não consegue racionalizar muito bem as coisas, e eu ando passando muito tempo infurnada dentro do meu quarto,

Se acostumem a ver muito *——-* nos meus post. kkkk

beijoscas e adios amigos ;*

Etiquetado , , , , , ,

¡Viva México!

Acho que a ficha só vai cair mesmo quando eu entrar no avião. Eu estou assistindo a vários videos e lendo muitos depoimentos de intercâmbistas que foram para o México e estou ficando animada e ansiosa, quero muito viver esse intercâmbio.

Desculpa, lembrei agora que eu abandoneio o blog a algum tempo… querido leitores e leitoras, estou indo para o México em Agosto. 😉

Quem convive comigo sabe o quanto eu estava insegura com essa minha decisão, é um ano e não apenas um passeio, é uma experiencia de vida que pode ser muito gratificante, como pode não ser. Mas creio ter escolhido a opção certa, ir.

Eu tento até não pensar muito, mas não tem como. Explorar o desconhecido vai ser uma grande aventura, como diria o Peter Pan, viver será uma enorme aventura. E como eu não sou mais nenhuma criança e tenho deveres, obrigações e responsabilidades sei que não será tudo um mar de rosas, mas sei também que nem tudo será apenas espinhos.

Agora, a criação de uma nova tag no meu blog. MÉXICO.

aqui vamos nós ;D

na foto, eu e o intercâmbio/peter kkk

Etiquetado , , ,

Minhas loucuras

Eu tenho a séria péssima mania de ficar querendo anteceder as coisas. Parei de tentar adivinhar o pensamento das pessoas. Ponto pra mim.

Tenho pensado como pode ser o intercâmbio, como vai ser lá, isso não tem como saber, de jeito nenhum, nem nos meu sonhos. Mas depois que eu voltar, que faculdade vou fazer, onde vou morar, se vou ou não depender do meu pai e da minha mãe, se vou ir morar em outra cidade, em que cidade vou morar, com quando dinheiro terei que me virar, essas coisas.

O mais atual de todos é assim, ir para Bahia, morar com meu tio e dar aula de inglês e fazer um cursinho pré-vestibular bom, o melhor. Juntar um dinheiro, começar uma falcudade talvez, ou senão, seilá, uahsauhsauh.

Conhecer o mundo, escrever, viajar, fazer algo significativo, de valor, me conhecer melhor, descobrir meu limites, me superar e crescer, se divertir e amar. Amo o céu, a ideia de infinito no mesmo tempo que me assusta e acomoda porque eu sei que não é, o mundo é finito. Traduzindo, o que eu penso nem sempre é real.

Coisas boas e coisas ruins acontecem todo dia. Ficava antecipando o que os outros pensam, tendo conversas e conversas dentro da minha cabeça comigo mesma, e imaginava que essas pesssoas pensavam coisas ruins de mim, não gostavam de mim por um motivo ou por outro, que me julgavam o que não sou. Mas nada era verdade e é isso que faz pouco tempo que descobri, nem sempre é real. E as coisas boas, que eu imagino tão fáceis e perfeitas? essas também eu respondo, nem sempre são reais.

Tenho a consciencia de que estou embarcando em uma jornada em que não vou ter como sair depois, não vou ter como voltar atrás, não vou ter como dizer que cansei e voltar para casa.

não estamos mais em um lugar abandonado, mas ainda não estamos no lugar desejado, Michel Onfray

da língua.
Etiquetado , ,

Meu primeiro Seminário de Rotary

meu primeiro seminário de RotaryComo diz o post, meu primeiro encontro de Rotary foi domingo. Também foi nesse domingo a seleção do Intercâmbistas, que não é bem uma seleção, é algo feito para depois as vagas serem melhor ditribuídas, todos tem chances de fazer o intercâmbio, MAS a vaga NÃO É GARANTIDA. Eu conheci MUITAS pessoas, e é inexplicavel o quão feliz e realizada eu fiquei hoje, principalmente pelo apoio dos meu pais que até antes disso não estavam contentes com minha ideia de Intercâmbio.

Não me vejo falhando, mas eu agi por instinto na dinamica em grupo, algo que eu realmente não esperava de mim mesma. Estava ciente de tudo que fazia, respirava e pensava para não fazer errado, para não me prejudicar, e isso é algo que tenho feito faz um bom tempo, meditar.

Acima de tudo aprendi mais um pouco sobre aquilo que almejo vivenciar, vi os vicios que talvez possam ser chamados de erros, erros que pretendo não cometer. Durante toda a viagem de volta, que passou como um flash, nós voltando comentando sobre as coisas que vimos e presenciamos lá, como a ÍNCRIVEL palestra da Damiana, sobre os inbounds, os outros canditatos a intercâmbista (outbounds), as normas do PIJ, o trabalho do RI, os meus possiveis países, e algumas falhas.

Só pra citar aqui, inbouds= estão dentro do nosso país, outbounds= vão sair do nosso país, rebounds= voltaram para o nosso país

Concluindo, meu tempo na internet será reduzido, ou seja, menos tempo para escrever. Apartir de agora meu contato com esses inbounds e rebounds aqui em São Borja será mais ativo. Conheci a Rubi (amanhã é a festiva dela).Me sinto mais preparada, e ao derrorer desses meses em que necessitarei de MUITA, MUITA, MUITA paciência mesmo, vou crescer mais, e cada vez mais.

beijoquinhas ;*

Etiquetado , , , , , ,

Domingo é dia D

Domingo é o dia da entrevista, do “seminário”, da prova, de conhecer os intercâmbista aqui de São Borja. Tem bastantes coisas, eu ainda necessito do apoio de muita gente, ainda tenho muito o que me preparar.

Preciso agradecer muito ao chairman do Distrito 4660 do Rotary, que me mandou o livro, a mãe até compro um vinho como agradacimento. A faixa pra Rubi já tá prontinha, e meu irmão Junior, acabou de falar “e é bem bonita”, a tia Cristina me ajudou, ou eu ajudei ela.

Voltando ao assunto principal. Acho que estou nervosa por estar tão calma, tão tranquila e serena. Meu corpo demonstra tensão, meus múculos do rosto, dos ombros, das costas estão terrivelmente tensos, doloridos e pesados, e não é por conta da academia a qual eu faltei hoje para ler o livro. Pelo menos isso eu consegui, Teoria da Viagem: Poética da Geografia é um livro ótima e superou minhas expectátivas. Segunda feira sai o post sobre o livro, eu prometo.

Vou deixar o cabeça aqui entra, beijocas. ;*

Etiquetado , , , ,